A carência é um período de tempo em que você pode ter um valor reduzido em suas parcelas. Entenda como ela funciona e quando ela vale a pena!

Entenda como funciona o período de carência para refinanciamento

O refinanciamento é um tipo de crédito que tem como garantia um bem do contratante. Dessa maneira, é possível encontrar opções mais vantajosas no contrato, especialmente a redução de juros. Isso acontece por um motivo simples: os riscos da instituição financeira diminuem, o que permite a oferta de melhores condições. Além disso, é possível encontrar opções com período de carência. 

Uma modalidade bastante comum de aquisição de crédito é o refinanciamento imobiliário, ou home equity. Assim, quem já tem um imóvel quitado e precisa levantar capital, pode oferecê-lo como garantia para aproveitar o benefício. 

Porém, em todos os casos, você precisa saber como avaliar o período de carência para conseguir um contrato realmente vantajoso. Neste conteúdo, esclarecemos as principais dúvidas sobre o tema, confira!

O que é período de carência no contrato?

Ao fazer um empréstimo ou financiamento, uma das cláusulas do contrato refere-se a data em que as parcelas terão início. Aqui, a instituição pode conceder um prazo antes de iniciar a cobrança ou fazer com que algumas prestações tenham um valor reduzido, apenas com os encargos, por exemplo. Esse é o chamado período de carência. 

Dessa maneira, é possível ter mais tranquilidade financeira para se planejar em relação ao crédito obtido e, se for o caso, se recuperar da situação que levou à necessidade de procurar linhas de crédito. Se isso aconteceu pelo risco de endividamento, o prazo adicional pode fazer toda a diferença para conseguir deixar o orçamento em dia. 

Como funciona nos refinanciamentos?

Não há diferença nas regras do período de carência para refinanciamentos, mas os detalhes de como ele funcionará dependem da instituição ofertante. O ponto de atenção ao optar por essa vantagem é o valor das parcelas subsequentes. Devido ao prazo em que não houver pagamentos, as prestações seguintes costumam ter um custo maior, assim como o custo total do contrato. 

Do mesmo modo, o período de carência escolhido pode fazer com que as parcelas variem. Um mês sem pagamento, por exemplo, terá impactos menores no total, do que a concessão do benefício por seis meses. Assim, é essencial saber como avaliar o contrato para solicitar o período de carência ideal. 

Como escolher o período mais adequado?

O período de carência oferece vantagens, mas também exige atenção para compreender os seus impactos no contrato. Por isso, separamos algumas dicas para ajudar na escolha do período mais adequado aos seus planos. Veja a seguir!

1. Avalie o seu orçamento

O primeiro passo é sempre avaliar o orçamento para entender se realmente é necessário optar pela carência. Como ela pode impactar o valor das parcelas seguintes e o custo total do financiamento, nem sempre é vantajoso contar com isso. Porém, se identificar que o período pode trazer benefícios, é hora de ir para o próximo passo. 

2. Considere a finalidade do contrato

Qual é o objetivo do refinanciamento? Considere esse questionamento para entender o quanto ele comprometerá as suas finanças e o tempo ideal para ter esse prazo de descanso. Basicamente, verifique quantos meses você precisa para se organizar e quitar as parcelas com mais tranquilidade.

Por exemplo, se o pedido foi feito para conseguir capital para um investimento, mas você não está endividado, não é preciso pegar um período prolongado, pois um mês pode ser suficiente. 

3. Veja o valor mensal disponível

Por fim, faça simulações para entender como a carência no refinanciamento impactará o valor das parcelas seguintes. É fundamental que elas sejam adequadas ao orçamento, caso contrário, você pode ter dificuldades para pagar o empréstimo, sofrendo com multas, juros e, até mesmo, a perda do bem dado como garantia.

Em todos os casos, sempre conte com uma instituição de confiança para conseguir o refinanciamento. No Imobi Cash você consegue refinanciar até 60% do valor do imóvel com juros a partir de 0,75% ao mês e prazos de pagamento que variam entre 60 e 240 meses. Além desses benefícios, você tem carência de até 3 meses no contrato. 

Conhecendo as regras sobre o período de carência, ficará mais fácil avaliar esse benefício no contrato e escolher o tempo certo para começar a pagar as parcelas. Sem dúvidas, essa estratégia pode ser o diferencial para ter um bom planejamento financeiro após a aquisição do crédito. 

Quer mais dicas sobre o assunto? Aproveite para descobrir como avaliar se o refinanciamento vale a pena!

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Scroll to top