O sistema de amortização é um termo muito presente no momento de fazer um empréstimo ou financiamento. Aqui, descubra como ele funciona!

O que é e como funciona um sistema de amortização?

Os contratos de empréstimo podem gerar algumas dúvidas, principalmente em relação aos termos utilizados, como o sistema de amortização. Você sabe do que se trata e como ele traz impactos para a obrigação assumida? 

Entender essa questão é fundamental para escolher um sistema que atenda suas necessidades — o que influencia no valor das parcelas e no Custo Efetivo Total (CET) do contrato. 

Para esclarecer o tema, preparamos este conteúdo com as principais dúvidas sobre o funcionamento do sistema de amortização. Acompanhe!

O que é sistema de amortização?

A amortização trata da maneira como a dívida diminui ao longo do pagamento das parcelas. Após a contratação, ela inclui o valor dos juros cobrados. Assim, as parcelas são compostas por uma quantia referente ao capital emprestado e outra que trata das taxas. 

No entanto, a prestação pode ser calculada de diferentes maneiras para definir qual é o saldo devedor e quais são os juros.

É aqui que entra o sistema de amortização: ele determina como será feito o cálculo e, consequentemente, afeta o custo de cada prestação e o CET da operação financeira. 

Quais são os tipos de amortização?

Existem diversos sistemas de amortização que podem ser utilizados. Contudo, os mais comuns são o Sistema de Amortização Constante (SAC) e Price

Provavelmente você já tenha ouvido falar deles, mas explicaremos os detalhes de como eles funcionam nos próximos tópicos. Continue a leitura!

Sistema de amortização constante (SAC)

Esse método é mais comum nos contratos de longo prazo, especialmente os que envolvem imóveis. Nesse caso, o valor pago mensalmente em relação ao capital emprestado é o mesmo, enquanto o total de juros varia mês a mês, conforme o saldo devedor.

Assim, a primeira parcela terá um valor maior, pois ela considera o total integral referente ao capital, mais os juros calculados sobre todo o crédito.

Contudo, conforme o saldo devedor diminui, as parcelas também são reduzidas — facilitando a manutenção da obrigação financeira, já que o valor ficará menor com os anos. 

Sistema de amortização Price

Na tabela Price, os juros totais são calculados no momento da contratação e distribuídos em todas as parcelas. O resultado é o pagamento de prestações no mesmo valor ao longo do tempo, o que traz a impressão de maior segurança financeira.

A primeira parcela tem um menor custo, quando comparado ao sistema SAC, no entanto, a última será mais cara. Outro ponto é que o custo efetivo total é maior, já que a amortização não é feita de maneira constante. 

Aqui, o benefício está na facilidade para se planejar financeiramente e no pagamento das primeiras parcelas, que terão um valor menor. 

Como escolher o sistema de amortização?

A melhor maneira de escolher o sistema de amortização é simular e comparar os resultados. Considere o valor das parcelas, a evolução dos pagamentos e o CET para ter certeza de que o contrato é adequado ao orçamento.

Uma parcela muito alta no início pode gerar dificuldades financeiras, o que traz prejuízos no final, mesmo que, teoricamente, o custo total seja mais baixo. Por outro lado, a impossibilidade de reduzir o custo ao longo do tempo também pode se tornar um impeditivo. 

A verdade é que a opção mais adequada varia de acordo com as condições do contrato e o seu perfil financeiro. Logo, somente uma análise detalhada permitirá a decisão mais adequada. 

É importante ter em mente que você precisará se comprometer a longo prazo para a quitação, sendo que os atrasos geram multas, juros e outras consequências. 

Uma dica para ajudar nessa decisão é contar com o Imobi Cash. Trabalhamos com empréstimos com garantia de imóveis, possibilitando a liberação de até 60% do valor da propriedade. 

Além disso, prestamos todo o suporte para encontrar os melhores termos para o seu contrato. 

Como vimos, o sistema de amortização trata da maneira em que serão calculados o saldo devedor e os juros do empréstimo. Por ele causar impactos no valor das parcelas e do CET, é essencial avaliar as opções do mercado para encontrar a mais adequada ao seu orçamento. 

Quer acompanhar mais dicas sobre a obtenção de crédito? Assine nossa newsletter e receba todas as novidades por e-mail!

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Scroll to top